A estratégia da Nasa para, pela 1ª vez, desviar um asteroide que passará perto da Terra
05/07/2017

Por BBC Brasil





Nova técnica pode proteger o planeta de ameaças no futuro

A Nasa, agência espacial dos Estados Unidos, prepara uma ambiciosa missão: desviar um asteroide que passará perto da Terra.

O alvo é um asteroide chamado Didymos ("gêmeo" em grego), que conta com um sistema binário, ou seja, dois corpos: o Didymos A tem aproximadamente 780 metros de comprimento, e o Didymos B, um corpo menor que o envolve, tem uns 160 metros.

A previsão é de que esse asteroide passe relativamente perto da Terra, a cerca de 11 milhões de quilômetros de distância, em outubro de 2022 e depois em 2024.

É aí que a Nasa quer colocar em prática a primeira missão para demonstrar uma técnica de deflexão, isto é, de desvio do asteroide para proteger o planeta.

"O risco de impacto do asteroide é real, pergunte aos dinossauros", diz à BBC Mundo (serviço em espanhol da BBC) Jean Luc Margot, professor de astronomia da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA). "Diferente de outros perigos naturais como furacões, erupções vulcânicas, terremotos, etc, os impactos dos asteroides podem ser evitados com a tecnologia atual."

Como será a missão?

No momento, a Nasa trabalha no design do Teste de Redirecionamento do Asteroide Duplo (DART, na sigla em inglês).

"O DART será a primeira missão da Nasa para colocar na prática o que é conhecido como técnica de pêndulo cinético - bater no asteroide para mudar sua órbita - a fim de defender a Terra de um possível impacto futuro", explica Lindley Johnson, especialista em defesa planetária da Nasa em Washington.

E, para testar esse novo projeto, que ainda se encontra em uma fase preliminar, os cientistas da agência espacial acreditam que o Didymos é a melhor oportunidade.

"Um asteroide binário é o laboratório natural perfeito para esse teste", diz Tom Statler, cientista do programa do DART, em comunicado da Nasa. "O fato de o Didymos B estar em órbita ao redor do Didymos A faz com que seja mais fácil ver os resultados do impacto e garante que o experimento não mude a órbita da ambos ao redor do Sol."

Para o professor Margot, a escolha desse asteroide é boa porque ele é relativamente acessível para aeronaves espaciais e é possível medir as mudanças com imagens de radar.

Mais rápido que uma bala

Segundo a Nasa, o DART atingirá o Didymos B, o asteroide menor, "a uma velocidade de 6 km por segundo, nove vezes mais rápido que uma bala".

Com esse teste, os cientistas poderão avaliar a mudança resultante na órbita de Didymos B ao redor de Didymos A. Isso permitirá determinar as capacidades do impacto cinético como uma estratégia de mitigação de asteroides.

"O DART é um passo crítico para demonstrar que podemos proteger nosso planeta de um impacto futuro de asteroides", diz Andy Cheng, do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins em Laurel, Maryland (EUA), que também participa do projeto.

Segundo o professor Margot, a iniciativa está dentro das capacidades tecnológicas dos Estados Unidos, mas pode enfrentar o risco de cortes orçamentários.

"Se os responsáveis pelo orçamento não apoiarem o projeto, poderão ser considerados culpados pela perda de vidas e bens em caso de um impacto grande de um asteroide", opina Margot.
 Outras Matérias
28/06/2017

Ataque cibernético global atinge computadores também no Brasil

27/06/2017
Aeroporto de Brasília faz homenagem a 20 anos de Harry Potter com portão 9 ¾
Referência é apenas montagem fotográfica, mas causou repercussão no terminal. "Teve muito passageiro procurando o portão", que só é visto por mágicos de verdade, brincou aeroporto.

26/06/2017
Pesquisadores conseguem transferir energia sem fio a um objeto não estático
O mecanismo poderá abrir caminho para o desenvolvimento de carros elétricos com maior autonomia

23/06/2017
Netflix supera TV a cabo nos EUA em assinantes, diz estudo
Grandes grupos de TV a cabo perderam 4 milhões de assinantes desde 2012; Netflix adicionou 27 milhões

21/06/2017
Honda interrompe produção em fábrica no Japão após ataque cibernético
Empresa foi atingida pelo WannaCry, que criptografa arquivos até o pagamento de um resgate. Vírus é o mesmo de ataque mundial que ocorreu em maio.

20/06/2017
Spinners inspiram games e aparecem na lista de mais baixados de smartphones
Jogos "Fidget Spinner" e "Hand Spinner" simulam produtos que viraram moda entre jovens. Games estão bem cotados nas listas do Google Play e da App Store.

19/06/2017
Japoneses criam 1º drone capaz de reproduzir imagens esféricas em voo
Aeronave da NTT DoCoMo tem 3,4 kg e pode voar a 100 metros de altura.

14/06/2017
Campus Party Brasília começa hoje com mais de 250 horas de atividades
A expectativa é de que 50 mil pessoas passem pela Campus Party em Brasília. O evento acontece de hoje até domingo (18/6) no Centro de Convenções Ulysses Guimarães

13/06/2017
WhatsApp deixa de funcionar em alguns celulares a partir de junho
A companhia informou que o serviço será suspenso para aparelhos com sistema operacional BlackBerry OS, BlackBerry 10, e Nokia Symbian S60.

08/06/2017
Por que fósseis achados no Marrocos mudam tudo o que sabemos sobre a origem da humanidade
Evidências de que Homo sapiens surgiu ao menos 100 mil anos antes do que se pensava sugerem que nossa espécie é mais antiga - e não evoluiu de forma tão repentina como se pensava.

Horário de funcionamento:
De segunda à sexta das 8:00hs as 12:00hs e das 14:00hs as 18:00hs
Unidade Brasília
(61) 3048-0044