Robôs de inteligência artificial buscam novos medicamentos para doença degenerativa
11/08/2017

Por Reuters



Tecnologia analisa banco de dados e sugere drogas promissoras com rapidez. Uma delas está em testes para a esclerose lateral amiotrófica.
Robôs de inteligência artificial estão acelerando a corrida para encontrar novos medicamentos para combater a esclerose lateral amiotrófica (ELA).

A enfermidade, também conhecida como doença de Lou Gehrig, ataca e mata as células nervosas que controlam os músculos, provocando fraqueza, paralisia e, por fim, insuficiência respiratória.

Existem apenas dois remédios aprovados pela Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA para retardar a progressão da esclerose lateral amiotrófica, uma disponível desde 1995 e outra aprovada apenas este ano.

Cerca de 140.000 novos casos são diagnosticados por ano globalmente e não há cura para a doença, conhecida por afetar o físico Stephen Hawking. Diagnostica com a condição aos 21 anos, ele vive em uma cadeira de rodas e se comunica por computador.

"Muitos médicos a consideram a pior doença da medicina e a demanda não atingida é enorme", disse Richard Mead, do Sheffield Institute of Translational Neuroscience.

Robôs

Softwares complexos executados por computadores poderosos trabalham como super-pesquisadores incansáveis e imparciais. Eles analisam enormes bancos de dados químicos, biológicos e médicos muito mais rápido do que o humanamente possível, produzindo novos alvos biológicos e possíveis remédios.

Em testes pré-clínicos em Sheffield, um candidato a medicamento proposto por tais máquinas produziu recentemente resultados promissores na prevenção da morte de neurônios e atraso no início da doença.

Caso a pesquisa produza novos medicamentos, marcaria uma vitória notável para a inteligência artificial na descoberta de remédios, impulsionando as perspectivas de um crescente número de startups focadas na tecnologia.

Estas empresas estão se baseando na premissa de que, embora os robôs de inteligência artificial não substituam cientistas e médicos, podem economizar tempo e dinheiro, descobrindo fármacos muito mais rapidamente que processos convencionais.


 Outras Matérias
03/08/2017

Google bloqueia software espião que atingiu menos de 100 celulares

28/07/2017

Cientistas acreditam ter encontrado primeira lua de fora do Sistema Solar

24/07/2017

Geólogos afirmam ter detectado água em depósitos vulcânicos na Lua

05/07/2017

A estratégia da Nasa para, pela 1ª vez, desviar um asteroide que passará perto da Terra

28/06/2017

Ataque cibernético global atinge computadores também no Brasil

27/06/2017
Aeroporto de Brasília faz homenagem a 20 anos de Harry Potter com portão 9 ¾
Referência é apenas montagem fotográfica, mas causou repercussão no terminal. "Teve muito passageiro procurando o portão", que só é visto por mágicos de verdade, brincou aeroporto.

26/06/2017
Pesquisadores conseguem transferir energia sem fio a um objeto não estático
O mecanismo poderá abrir caminho para o desenvolvimento de carros elétricos com maior autonomia

23/06/2017
Netflix supera TV a cabo nos EUA em assinantes, diz estudo
Grandes grupos de TV a cabo perderam 4 milhões de assinantes desde 2012; Netflix adicionou 27 milhões

21/06/2017
Honda interrompe produção em fábrica no Japão após ataque cibernético
Empresa foi atingida pelo WannaCry, que criptografa arquivos até o pagamento de um resgate. Vírus é o mesmo de ataque mundial que ocorreu em maio.

20/06/2017
Spinners inspiram games e aparecem na lista de mais baixados de smartphones
Jogos "Fidget Spinner" e "Hand Spinner" simulam produtos que viraram moda entre jovens. Games estão bem cotados nas listas do Google Play e da App Store.

Horário de funcionamento:
De segunda à sexta das 8:00hs as 12:00hs e das 14:00hs as 18:00hs
Unidade Brasília
(61) 3245-7881