Ensino Integral é tema de seminário organizado pela Secretaria de Educação




Comum em diversos países, o ensino integral começa a crescer em Brasília e no restante do Brasil. Para discutir sobre as dificuldades e avanços alcançados, a Secretaria de Educação do DF promove nestas segunda e terça-feira (13 e 14) o seminário “Perspectivas e Proposições para Educação Integral”.

A intenção é colocar frente a frente professores, alunos, gestores e representantes do governo para uma troca de conhecimentos. “Com essa reunião de experiências é possível fortalecer um debate e ajudar na implementação dessa política educacional”, apontou o secretário adjunto de Educação, Clovis Lucio da Fonseca Sabino, durante a abertura do evento.

Apesar de abordar todas as etapas da educação, o ensino médio teve destaque nas discussões do primeiro dia do seminário. As mudanças recentes e o incremento nos investimentos foram destacadas pelo coordenador de ensino médio do Ministério da Educação, Wisley Pereira. “Ao oferecer novas possibilidades a esses estudantes, permite-se que ele realize um projeto de vida, seja como um grande administrador, seja como um engenheiro ou um músico”.

Para o representante do Ministério, alguns obstáculos ainda precisam ser superados, mas ele apresenta uma visão otimista. “Muitos jovens precisam de trabalhar e não conseguem se dedicar aos estudos em tempo integral. Em outros casos, ainda não há a infraestrutura que gostaríamos. Mas ao compararmos com o que tínhamos há anos atrás, quando sequer havia merenda para alunos de ensino médio, creio que estamos melhorando. Nosso objetivo agora é dar equidade, com ensino de qualidade para todos”, ressaltou Pereira.

A modernização do ensino também foi o assunto escolhido pelo subsecretário de educação básica, Daniel Crepaldi. “É preciso trabalhar por essa ideia nova de escola. Nossa sociedade apresenta mudanças muito rápidas e o colégio precisa acompanhar. A educação integral permite essa intersecção de conhecimentos, dando possibilidade de escolha, como formação técnica, artes, esportes, entre outros”.

Rede de ensino

Atualmente, a rede pública do DF conta com 13 unidades com ensino integral implementado, atendendo mais de 1 mil alunos das regiões administrativas do Plano Piloto, Núcleo Bandeirante, Planaltina, Brazlândia e Taguatinga.

As escolas contam com apoio do Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral do Ministério da Educação (MEC), cujo intuito é apoiar os sistemas de ensino público a atender à meta 6 do Plano Nacional de Educação (PNE). Segundo o objetivo, até 2024, a educação em tempo integral deverá ser realidade para pelo menos 25% dos estudantes da educação básica.

O programa nacional assegura investimento pelos próximos 10 anos às escolas que aderiram ao projeto. Os valores serão revertidos em obras de expansão da infraestrutura e aquisição de materiais para o desenvolvimento de atividades variadas.
 Outras Notícias
22/01/2018

UnB retifica edital do Sisu e divulgará lista de aprovados em nova data

19/01/2018

205 redações do Enem desrespeitam direitos humanos

19/01/2018

MEC divulga novo calendário do Sisu

19/01/2018

Notas médias no Enem caem em ciências humanas e linguagens, e sobem em matemática e ciências da natureza

18/01/2018

Enem 2017 tem queda no total de alunos com nota mil na redação

18/01/2018

UnB lança edital com 573 vagas para portadores de diploma de curso superior

17/01/2018

UnB reserva 56% das vagas de ingresso pelo Sisu para cotas

17/01/2018

Governo libera R$ 406 mi a escolas do ensino médio em tempo integral

16/01/2018

UnB abre inscrições para licenciatura em educação no campo

16/01/2018

O que falta para a mão de obra ser bilíngue?

Horário de funcionamento:
De segunda à sexta das 8:00hs as 12:00hs e das 14:00hs as 18:00hs
Unidade Brasília
(61) 3245-7881