5 destinos de estudo que cresceram em popularidade entre estudantes brasileiros

Além dos Estados Unidos, Portugal e Espanha, outros países estão entre as possibilidades.






Os Estados Unidos, a maior potência mundial em educação superior do mundo, têm perdido um pouco da sua popularidade entre estudantes internacionais para países que têm procurado fortalecer a sua imagem e oferecer condições melhores para quem quer uma formação de qualidade, com preços acessíveis e ambiente seguro.

Apesar de os EUA ter batido o recorde de estudantes internacionais no país em 2017, a queda no número de matrículas se dá por uma série de razões, entre elas, a eleição de Donald Trump e suas leis mais rígidas de imigração. O mesmo acontece com o Reino Unido após o Brexit, que votou pela saída do país da União Europeia. Nada disso anula a qualidade dos programas acadêmicos oferecidos por estes dois países, que continuam atraindo estudantes internacionais. No entanto, abre uma brecha para que demais destinos cresçam em popularidade e abocanhem uma parcela maior de intercambistas que, em outras épocas, poderiam nem considerá-los como opção.

Quais são estes países? Dentre tantos outros, como Malta, África do Sul, Espanha e Portugal, selecionamos cinco destinos de estudo que se tornaram extremamente relevantes nos últimos anos.

1. Canadá
Moeda: 1 dólar canadense = 2,58 reais

Canadá é, na verdade, o destino mais popular entre os brasileiros nos dois últimos anos, vencendo EUA e Reino Unido. E as razões não são poucas, como já explicamos aqui. Basicamente, o país oferece uma mistura de:

Preços mais acessíveis, com a moeda nacional mais barata que o dólar americano, libra esterlina e euro;
Opções variadas de estudo de qualidade, desde cursos de inglês de verão até graduações e pós-graduações em universidades renomadas;
Programas de experiências profissionais durante os estudos, como estágios e co-op programs;
Chances de estender a estadia para permanecer no país e trabalhar.
Além disso, o país tem leis de acolhimento de imigrantes e refugiados que só incentivam o multiculturalismo como também comprovam que os canadenses são um povo bem receptivo.

2. Irlanda
Moeda: 1 euro = 3,89 reais

A Irlanda cresceu imensamente entre os estudantes brasileiros, principalmente como destino de estudo para cursos de inglês. Isto porque uma das maiores vantagens do país é que os estudantes internacionais são permitidos exercer qualquer função remunerada no país mesmo matriculados em um programa de idioma, diferente da grande maioria dos destinos de estudo do mundo.

A possibilidade de trabalhar no país desde o início e sem a necessidade de estar vinculado à área de estudo, de fato, é uma das melhores formas de complementar o orçamento no exterior.

Outro fator que acaba fortalecendo a popularidade do país é exatamente a quantia de brasileiros por lá. Além do boca-a-boca ainda ser uma propaganda eficiente – afinal, quem tem uma boa experiência por lá acaba recomendando o país os outros –, várias pessoas se sentem mais seguras de saber que estarão entre conterrâneos no exterior. Dublin, o principal foco de estrangeiros, é uma cidade multicultural, com opções de culinária, mercados, baladas, etc. de todo tipo de nacionalidade.

E, claro, para colaborar ainda mais com o seu sucesso, a Irlanda tem universidades mundialmente renomadas, como a University College Dublin e a Trinity College.

Saiba como escolher o seu curso de inglês na Irlanda.

3. Austrália
Moeda: 1 dólar australiano = 2,53

Clima mais parecido com o nosso, praias paradisíacas, churrascos ao ar livre, belezas naturais, reservas de cangurus e coalas... Claramente, a Austrália é muito mais do que isso, mas essa lista das coisas mais famosas do país já é suficiente para atrair estudantes do mundo inteiro!

A moeda da Austrália também é mais barata que o euro, a libra e o dólar australiano (e, dependendo da cotação, é quase sempre mais barata que o canadense também), o que acaba compensando o seu custo de vida considerado um pouco alto.

O país tem oito das 100 melhores universidades do mundo; além disso, várias de suas cidades sempre aparecem entre as melhores globais, como Melbourne e Sydney. A sua localização no Hemisfério Sul faz com que tenha as mesmas estações do ano que as nossas e também um clima quente mais semelhante ao brasileiro, fatores que ajudam bastante na adaptação.

4. Nova Zelândia
Moeda: 1 dólar da Nova Zelândia = 2,30 reais

A Nova Zelândia tem duas das 20 melhores cidades do mundo (em 2017), Wellington e Auckland (a capital é, inclusive, a terceira colocada do ranking).

Na verdade, os atrativos do país são parecidos com os da sua colega de continente, a Austrália:

Belezas naturais de tirar o fôlego;
Praias paradisíacas;
A moeda mais barata de todas da lista;
Universidades famosas, como University of Auckland, University of Otago e University of Canterbury;
Oportunidades de trabalhar por até 20 horas semanais durante os estudos;
Oportunidades de trabalho após os estudos, devido à escassez de mão de obra qualificada em vários campos.
O diferencial da Nova Zelândia é que ela é reconhecidamente um paraíso para quem gosta de esportes radicais e, por estar localizada mais ao sul, tem mais regiões com neve.

5. França

Único destino de estudo não anglófono da nossa lista, França foi considerada mais atraente como destino de estudo internacional do que EUA, Reino Unido e Alemanha, de acordo com uma pesquisa do Campus France – apenas o Canadá conseguiu superá-la. Os principais fatores para este resultado positivo foram o valor dos estudos, a qualidade da educação e do treinamento, a cultura e a língua francesa.

Paris está frequentemente no topo das melhores cidades universitárias do mundo – em 2017, ficou em segundo lugar no ranking da QS, atrás apenas de Montreal, Canadá, mas já ocupou a primeira posição de 2014 a 2016.

A França tem uma diversidade de cidades além de Paris com ofertas acadêmicas renomadas, como Bordeaux e Toulouse, e também é um ponto de partida maravilhoso para viajar para o resto da Europa, com passagens de trem e de ônibus bem em conta.
 Outras Notícias
22/01/2018

UnB retifica edital do Sisu e divulgará lista de aprovados em nova data

19/01/2018

205 redações do Enem desrespeitam direitos humanos

19/01/2018

MEC divulga novo calendário do Sisu

19/01/2018

Notas médias no Enem caem em ciências humanas e linguagens, e sobem em matemática e ciências da natureza

18/01/2018

Enem 2017 tem queda no total de alunos com nota mil na redação

18/01/2018

UnB lança edital com 573 vagas para portadores de diploma de curso superior

17/01/2018

UnB reserva 56% das vagas de ingresso pelo Sisu para cotas

17/01/2018

Governo libera R$ 406 mi a escolas do ensino médio em tempo integral

16/01/2018

UnB abre inscrições para licenciatura em educação no campo

16/01/2018

O que falta para a mão de obra ser bilíngue?

Horário de funcionamento:
De segunda à sexta das 8:00hs as 12:00hs e das 14:00hs as 18:00hs
Unidade Brasília
(61) 3245-7881