‘Pôde’ e ‘pode’. Confira as diferenças e quando usar cada um




“Meu irmão não pode ir”. Ou seria “meu irmão não pôde ir”? Na língua portuguesa, encontramos aqueles vocábulos que são escritos com as mesmas letras, mas que têm significados diferentes. Essas palavras são denominadas homógrafas.

O acento diferencial, que sofreu modificações com a vigência do Novo Acordo Ortográfico, serve justamente para diferenciar essas palavras, incluindo o caso de “pôde” e “pode”, tema deste artigo.

“Pôde” e “pode”: ambas são corretas
A última reforma ortográfica aboliu a maioria dos acentos diferenciais, mas dois deles permanecem e devem ser utilizados obrigatoriamente. É esse o caso do acento do verbo “pôr”, que continua diferenciando essa forma da preposição “por”, e do acento da forma de passado “pôde”.

Assim sendo, “pôde” e “pode” existem na Língua Portuguesa, mas devem ser utilizados de maneiras diferentes. “Pôde”, com acento circunflexo, é o pretérito perfeito do verbo “poder”; já a forma “pode”, sem acento, é a forma do presente do indicativo do mesmo verbo.

 Outras Notícias
05/04/2018

COMUNICADO DE FRAUDE

25/01/2018

Ministro da Educação pede US$ 250 milhões para reforma do ensino médio

25/01/2018

Sistema de cotas ou ampla concorrência?

24/01/2018

IFB oferece mais de 900 vagas para o Sisu 2018/1

24/01/2018

Cebraspe convoca candidatos para o SiSUnB

24/01/2018

MEC adia para 29 de janeiro prazo de adesão de faculdades ao Novo Fies

22/01/2018

UnB retifica edital do Sisu e divulgará lista de aprovados em nova data

19/01/2018

205 redações do Enem desrespeitam direitos humanos

19/01/2018

MEC divulga novo calendário do Sisu

19/01/2018

Notas médias no Enem caem em ciências humanas e linguagens, e sobem em matemática e ciências da natureza

Horário de funcionamento:
De segunda à sexta das 8:00hs as 12:00hs e das 14:00hs as 18:00hs
Unidade Brasília
(61) 3245-7881